As perguntas certas e formação

Estamos todos a “surfar” uma realidade inesperada, global, próxima e mortal, uma verdadeira guerra que não contávamos viver e que ainda não conseguimos prever nem controlar.

As respostas que serão dadas, esperemos que dentro de meses, por cientistas, médicos e engenheiros, são a vacina e o remédio.

Mas, como a vida nos ensinou, quando soubermos as respostas, mudam as perguntas.

Assim, e porque há muita vida para além da engenharia, na sequência da Sede (Com)Vida, agora online, convidámos um conjunto de personalidades, com vidas muito diferentes, para nos ajudarem a identificar as perguntas certas neste momento.

Não procuramos que antevejam o que vai acontecer, pedimos apenas que façam connosco a reflexão possível nesta conjuntura e que nos digam o que esperam dos engenheiros.

Há outra coisa que podemos fazer pelos membros: formação.

É através da formação que nos tornamos profissionalmente mais competitivos e esta pandemia, ao ter acelerado o processo de formação à distância, permitiu-nos chegar muito mais longe: temos quase 3 000 inscrições em novas sessões e, por exemplo, ações de formação em Python e Machine Learning com mais de 1 000 participantes, de todo o mundo, quando antes fazíamos sessões presenciais de 25.

E estamos a preparar outras ações de formação que não existem no mercado: para manutenção e aquisição de competências, sempre de alta qualidade, a preços simbólicos para os membros e dadas ao ritmo vivo que os engenheiros exigem.