Plataforma Notícias Ordem Engenheiros Região Norte - Há Engenharia na criação de vinhos mais sustentáveis    

Há Engenharia na criação de vinhos mais sustentáveis   

8 Abril, 2021

Estudo sobre o ciclo de vida do setor do vinho é um dos vencedores dos Prémios CNOIV – Edição 2020, atribuídos pela Comissão Nacional da Organização da Vinha e do Vinho.

 

O posicionamento do mercado de vinhos, o volume de produção e os processos de produção “têm um impacto significativo no seu desempenho de sustentabilidade”. A conclusão é de um estudo liderado por engenheiros do Laboratório de Engenharia de Processos, Ambiente, Biotecnologia e Energia (LEPABE) da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e recentemente distinguido pela Comissão Nacional da Organização da Vinha e do Vinho (CNOIV) no âmbito dos  Prémios “Distinção CNOIV”, destinados aos melhores trabalhos nacionais de divulgação, experimentação ou investigação nos domínios da viticultura, enologia, economia e direito e nutrição e saúde.

Publicado em 2018, no Journal of Cleaner Production, o trabalho – intitulado “Towards sustainable wine: Comparison of two Portuguese wines” – premiado teve por objetivo avaliar a sustentabilidade no setor do vinho, sobretudo do ponto de vista da indústria, assente sobretudo num conjunto de indicadores intimamente ligados ao ciclo de vida do produto final.

“As últimas décadas testemunharam uma maior consciência dos impactos ambientais das atividades humanas, principalmente o resultado dos atuais padrões de consumo e produção”, afirma à UP Teresa Mata , investigadora do LEPABE/FEUP e uma das orientadoras deste trabalho de investigação, em conjunto com António Augusto Martins, membro da Ordem dos Engenheiros, também do LEPABE/FEUP.

Com este trabalho foi então possível compreender que o posicionamento do mercado de vinhos, o volume de produção e os processos de produção “têm um impacto significativo no seu desempenho de sustentabilidade”, bem como “propor algumas soluções para a melhoria da sustentabilidade do setor”, adianta a investigadora.

Realizado no âmbito da tese de mestrado de Ana Rita Araújo, finalista do Mestrado Integrado em Engenharia Química, o trabalho foi desenvolvido em ambiente empresarial na SOGRAPE, no âmbito do projeto IJUP-Empresas, e consistiu numa comparação da sustentabilidade de dois vinhos portugueses: um vinho de “Terroir” de elevado valor de mercado, produzido em pequenas quantidades utilizando uvas de uma única vinha na sub-região do Douro Superior; e um vinho de “marca”, mais comercial, valorizado mais pela marca do produtor do que pela ligação à região de origem, com posicionamento de preço mais acessível, produzido em grandes volumes.

O projeto assentou na premissa de que uma definição correta das estratégias e/ou cursos de ação mais adequados para melhorar a sustentabilidade da indústria do vinho deve partir de uma avaliação, o mais objetiva e quantitativa possível, do desempenho de sustentabilidade dos seus produtos e processos.

 

Fonte: Notícias UP